quarta-feira, agosto 10, 2005

Apelo da ANIMAL

Se tiver conhecimento da presença de algum circo com animais em qualquer zona do país, por favor entre imediatamente em contacto com a Associação ANIMAL, quer através do e-mail do Director Executivo daquela associação, quer através de SMS para o número 96 235 81 83!

Ajude a ANIMAL a criar condições para pôr fim ao uso de animais em circos em Portugal.

11 Comments:

Anonymous Anónimo said...

descobri agora este blog.
fiquei bastante contente por se preocuparem com estes nossos amigos, não tão irracionais quanto os fazemos.
acho brilhante este contributo para a sensibilização da população em geral do grave problema de maus-tratos, abandonos, abusos, dos animais.

é revoltante constatar a quantidade de abandono de animais de estimação (nome curioso, visto que quem os abandona não lhes tem estima nenhuma) na altura das férias. quando se assume o compromisso de tomar conta de um animal é suposto ser para sempre. e neste momento há sempre a opção, em último caso, de deixar num hotel o bixinho. é desumano vê-los à beira da estrada...

outro ponto que me revolta é a falta de condições nos canis. além de não terem espaço, não têm dinheiro para os alimentarem, tratarem...qual é a solução?
a morte...

e depois há pessoas que não suportam ver esta situação e tentam ajudar. exemplo disso é a minha tia que neste momento tem sensivelmnt 30 cães e pelo menos uns 20 gatos em casa, que apanhou da rua, uns doentes, outros famintos, outros simplesmente abandonados à porta de casa dela.
ela alimenta-os, vai ao veterinário, sofre com as doenças deles, chora a sua morte, escusado será dizer, que o dia dela é praticamente passado a limpar o pátio, a dar.lhes comida, a mimá-los um bocadinho e pouco tempo sobra pra ela...
agora vem a parte feia da historia, a minha tia é reformada, e tudo quanto ganha vai para os animais. como vai ser quando ela morrer??....(díficil adivinhar)

não há ninguém que a possa ajudar, porque ninguém quer cães/gatos adultos, sem pedigree...e aliás, nem ela se sente bem a dar algum dos seus bixinhos, pq afeição não se paga...e de qualquer forma...quem lhe garante que não os vão abandonar de novo?

o canil não é opção...já vimos isso...mas, e agora? quem paga a saúde e as despesas desta mulher, que por acaso é minha tia, mas podia ser outra pessoa qualquer?

...ninguém.

8:52 da tarde  
Anonymous Paulo McChina said...

Não posso deixar de dar o meu contributo.
Até porque já tenho dito a muita boa gente, que não tenho animais, porque pura e simplesmente, NÃO TENHO TEMPO PARA LHES DISPENSAR, sou sincero.
Não sou activista, sou humano, e considero-me muito e bom homem.
Não gosto de touradas, masoquismo, casacos de peles e outros destinos (médicos/científicos) que dão aos animais.
Custa-me vêr certos tipos de merdas que fazem aos animais, mas custa-me mais aceitar que isso existe, por isso se calhar ainda não encaro bem a realidade.
Se precisarem de algo, sabem o meu blog e fica aqui o meu mail, no que puder ajudar ...
anti_lamp@sapo.pt

5:03 da tarde  
Blogger Quem sabe... said...

-Bahhh....que coisa...
Sabes, um dia me enviaram um texto lindo de morrer, (quase que se pode levar esta expressão á letra)...era a história de um cachorrinho que tinha sido escolhido por uns donos....contava toda a história do inicio em que foi bem vindo a casa, com 2 meses de idade....

até ao dia em que foi abandonado na estrada com 18 meses (acho) ficando sem perceber para onde iam os seus donos...deixando-o para traz!
Estava tão bem escrita...com todos os promenores...expressava os sentimentos do cachorrinho...ate a aos seus 18 meses...foi tão forte.....que... :-(

12:08 da manhã  
Anonymous Padre Cura said...

Vejam só esta senhora e com o que ela se diverte...

http://espiritodopatio.blogspot.com

merece ou não? Uma lide à moda de lafões...

12:24 da manhã  
Blogger Clara Duarte said...

Este comentário foi removido por um administrador do blogue.

2:42 da manhã  
Blogger Clara Duarte said...

Padre Cura,

Se ela fosse vitela eu assava-a e comia-a... nham...

Quem gosta de animais e da natureza quer é vê-los no seu habitat natural e a natureza o mais intocável possível. Qualquer argumento que tente justificar o aprisionamento de um animal de 500 kg como um touro, falha redondamente.

2:44 da manhã  
Anonymous Anónimo said...

sobre o blog Espírito do Pátio.

"A Quinta do Falcão é mesmo o local ideal para quem goste de cavalos, toiros... "
ao ler isto, pensei que seria um sítio onde se criavam cavalos, toiros (eventualmente vacas, ovelhas, cabras...enfim, uma quinta onde se pudessem fazer uns pic-nics, levar as crianças a passear, um espaço lúdico e educativo).

como é que esta mulher tem coragem de dizer esta aberração? é que choca-me a falta de senso, de toque...quem gosta realmente dos cavalos e dos toiros não os anda a subjugar a espectáculos desses, cria.os pra os ver livres, saudáveis.
isto tem uma piada...

eu sou afincadamente contra as touradas ou toiradas ou corridas, é-me indiferente. desde miuda que nao suporto ver os toiros a serem espicaçados e torturados até a morte e os pobres cavalos a levarem marradas...juro que ficava contente quando o toureiro levava uma marrada..isso é que eu me ria!

tradição? de quem? de quando?
também era tradição usarem as pessoas pra diversão. os escravos que dançavam e faziam de bobos. mas isso era quando não havia uma civilização evoluída como eles clamam ter agora..e dpois deparo.me com estas carnificinas.
isto revolta.me, carago!

7:33 da tarde  
Blogger Rita said...

"esta mulher" tem nome... E identifica-se... Não é um "anonymous"... Rita, para os amigos!
A Quinta do Falcão é mesmo um espaço onde se criam todos esses animais que descreve... Com dedicação, muito esforço e, acima de tudo, com o todo o amor que talvez a Sra. não saiba dar! É um local onde pode "levar as crianças a passear" porque elas vão gostar (não há nenhuma que não saia de lá maravilhada!). É "um espaço lúdico e educativo", onde pode conhecer um mundo que nunca viu e que fala dele sem saber! Não somos ETs!
Todos nós, criadores de toiros e cavalos, somos pessoas com sentimentos! Amamos os nossos animais mais do que alguma vez possa imaginar! Não se pode falar do que não se sabe! Primeiro temos de ver, ouvir e até compreender os outros... E é com muito gosto que a convido a visitar, não a maravilhosa Quinta do Falcão, mas um espaço nosso, diferente e que de certeza vai gostar... Onde cavalos são reis... Onde cavalos, cães, gatos, galinhas, patos vivem juntos de nós, pessoas insensiveis e crueis... Mas que ainda assim lhes damos a comida que eles gostam, a água para quando têm sede, a cama para dormirem confortáveis, o carinho para se sentirem em família... Este local chama-se Espírito do Pátio... E quem por cá passou nunca mais se esqueceu!
Até posso entender o que sente, acredite! E é por isso que gostava que conhecesse o nosso "mundo"... Convide os amigos, traga as crianças... E pode ser que no final do dia a oiça dizer: "que dia agradável passei no Ribatejo"!!!

12:47 da manhã  
Blogger Rita said...

esqueci-me de lhe fazer uma questão: está a pensar criar os toiros em sua casa??? Ou deixamos que se extingam???

1:07 da manhã  
Anonymous Daniela said...

Se assim o é, se nutrem esse carinho pelos bichinhos, por favor, explique.me porque eu não consigo descortinar uma resposta...como são capazes de os ver a sofrer durante uma, duas horas, um minuto que seja...?
É-me totalmente inconcebível.
Não foi um 'ataque' que eu lancei, foi a indignação..e franca incredulidade.
E não duvido que o espaço onde os animais são criados seja óptimo para passear, talvez tenha sido injusta nesse aspecto. porque é verdade, vê.los pastar num campo verdejante é de sonho....conviver com eles é muito bom..
Mas fico sem compreender como levam os animais para as touradas, e isso sim, condeno, porque pessoalmente não sinto que uma tourada traga algo benéfico, seja uma experiência enriquecedora...

Já me identifiquei. Já não é problema.

Criar toirinhos em minha casa...? Num apartamento sentir-se-iam apertadinhos, como deve calcular.
É muito bom saber que há quem os cuide bem...e espero que continuem por muitos anos.
A CUIDAR deles.

2:58 da manhã  
Anonymous Marco Cerieiro said...

"Estranho muito, essas protectoras de animais que são contra as corridas de touros.
Senão vejamos: Um boi “Charolês”, mete incluindo a ossada, 1000 Kg. num ano, o touro bravo, esse, pode atingir cerca de 500 Kg. Em 4 ou 5 anos. Criado em liberdade, este bom exemplo da natureza lá terá o dia para que o destino o marcou. Encerrado em praça, o exemplar em questão com a sua nobreza e carácter, a lidar, permite aos diversos artistas os mais expressivos e elevados momentos artísticos proporcionando por esse Portugal fora, um número incontrolável de espectáculos de que não há memória, quer a Sul, ou a Norte.
Nunca amarrado, cerrado ou sequer à manjedoura como “Charolês”, o maravilhoso touro bravo por se movimentar toda a sua vida em liberdade é cognominado de “Rei da Lezíria”, das campinas se preferirem. Bonito, imponente, bruto e forte, algumas vezes “fiero”, outras temperamental, o touro, colabora mais que ninguém com as inúmeras “Casas de Misericordia” já que os tauródromos na sua maioria pertencem-lhes,ainda aquela criatura de Deus transforma gente modesta em figuras nacionais, escora um imaginável, número de famílias, fortalece o nosso tesouro público, dá-nos carne, calça-nos,veste-nos, emprega-nos e permite ainda muita alegria, paixão e entretenimento a quase metade do país.
Os que se dizem das Associações e Ligas contra o touro bravo, esses, os acerbados manifestantes a favor da lagosta, esses fanáticos e lunáticos enquanto lhes for destribuido metade das coimas de Barrancos e de outros casos, serão contra o touro – contra o touro para defender o gato… gulosos! Preferem acabar com uma raça, para defender outras. Tretas… querem é mama!!!
DEUS, criou um ser único, útil, e destinto, foi uma obra de grande pureza da natureza, desses grupelhos já não poderei afirmar o mesmo, todavia admito-os a preservar alguma coisa, até alguns animais, recolhe-los, tratá-los,alimentá-los e catá-los.
Esses “beneméritos”, foram bem marcados pelo Grande Mestre (só pode ser), vê-se pela pouca racionabilidade de que foram dotados. Que os terrestes lhes perdoem."

5:29 da tarde  

Enviar um comentário

<< Home